Ruy Ohtake, arquiteto

Ruy Ohtake, arquiteto

R$ 100,00
. Comprar  
Organizado por Abilio Guerra e Silvana Romano com ensaios críticos de José Tabacow, Luís Antônio Jorge e Ruth Verde Zein e ensaios fotográficos de Antonio Saggese, Nelson Kon e Tatewaki Nio.

coordenação editorial
Abilio Guerra, Silvana Romano e Fernanda Critelli

projeto gráfico e diagramação
Alles Blau | Elisa von Randow e Julia Masagão

impressão
Ipsis
patrocínio cultural
Consigaz
edição
Romano Guerra Editora
realização
Instituto Tomie Ohtake

dados técnicos
360 páginas, 23,5x27cm, 1500 grs
ilustrado, colorido, desenhos e fotos
ISBN: 978-85-88585-84-3

 

sobre o livro

A Romano Guerra Editora e o Instituto Tomie Ohtake lançam o livro sobre a obra de Ruy Ohtake, trazendo aspectos ainda pouco explorados em outras publicações sobre o arquiteto, como apontam os organizadores Abilio Guerra e Silvana Romano Santos: “nas nove publicações monográficas anteriores, destacava-se a carência de desenhos técnicos consistentes e, graças ao acesso franco ao acervo do arquiteto, foi possível analisar e apresentar a complexidade dos projetos”.
 
O novo livro foi concebido a partir de recortes conceituais que se desdobram em três capítulos: “Morar na praça”, texto de Ruth Verde Zein e fotos de Nelson Kon, que contempla as edificações em pequena escala, em especial as residências; “O desenho, a cor e a cidade segundo Ruy Ohtake”, texto de Luís Antônio Jorge e fotos de Tatewaki Nio, com edifícios altos, que abrigam diversos programas – residencial, cultural, serviços etc – e a presença da cor como elemento fundamental; e “Ruy Ohtake: a arquitetura como paisagem”, texto de José Tabacow e fotos de Antonio Saggese – projetos de escala urbana, com preocupações urbanísticas, paisagísticas, ecológicas e infraestruturais. Cada capítulo conta com três ensaios fotográficos atuais e vasta documentação iconográfica dos projetos nas três escalas.

Estrutura do livro
a) introdução sobre o arquiteto – texto de Abilio Guerra e Silvana Romano Santos (formação do arquiteto, trajetória profissional, atuação nas áreas de arquitetura, paisagismo, urbanismo e design).
b) capítulo 1 – texto de Ruth Verde Zein (“Morar na praça”), ilustrado com desenhos originais e fotos do acervo do arquiteto + ensaios fotográficos de Nelson Kon (residências Paulo Cheddid, Luiz Izzo e família Ohtake).
c) capítulo 2 – texto de Luiz Antonio Jorge (“O desenho, a cor e a cidade segundo Ruy Ohtake”), ilustrado com desenhos originais e fotos do acervo do arquiteto + ensaios fotográficos de Tatewaki Nio (hotel Renaissence, edifício Quatiara e Instituto Tomie Ohtake).
d) capítulo 3 – texto de José Tabacow (“Ruy Ohtake: a arquitetura como paisagem”), ilustrado com desenhos originais e fotos do acervo do arquiteto + ensaios fotográficos de Antonio Saggese (Parque de Indaiatuba, complexo cultural e residencial de Heliópolis, Elevado Centro-Sacomã).
e) textos em inglês.
g) bibliografia sobre o arquiteto e lista completa de obras.

Ruy Ohtake
Ruy Ohtake, nascido em São Paulo, em 1938, filho da artista plástica Tomie Ohtake, formase arquiteto em 1960 na FAU USP. Ganhador de 25 prêmios, conquistou o Colar de Ouro do Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB (2007). Recebeu os títulos de Professor Emérito da Faculdade de Arquitetura de Santos e de Professor Honoris Causa da Universidade Braz Cubas. Entre centenas palestras, fez parte do seleto grupo de arquitetos convidados do 20º Congresso da União Internacional de Arquitetos (1999), para proferir uma das principais conferências em Pequim, ao lado de Jean Nouvel e Tadao Ando. Na comemoração dos 60 anos da FAU USP, em 2008, foi o arquiteto convidado a fazer uma exposição no grande espaço projetado pelo mestre Vilanova Artigas.
Autor de centenas de projetos, inicia a carreira com obras de pequeno porte para depois assumir programas mais complexos, alguns deles hoje marcos urbanos de São Paulo – caso do Instituto Tomie Ohtake e dos hotéis Unique e Renaissance –, além de obras infraestruturais e equipamentos públicos e privados importantes para várias cidades – Parque Ecológico do Tietê, Expresso Tiradentes e Conjunto Residencial e Polo Educacional de Heliópolis, em São Paulo; Parque Ecológico de Indaiatuba; Aquário do Pantanal, em Campo Grande; Brasília Shopping, em Brasília; Estádio Walmir Campelo Bezzera, em Gama, DF; Embaixada Brasileira em Tóquio. Sua produção tem sido registrada em revistas e livros, mas até o presente momento não foi feita uma publicação contendo balanço crítico isento e aprofundado, que permita a inserção de sua obra em merecido lugar da história da arquitetura brasileira. A finalidade maior deste projeto cultural é cumprir esse objetivo.

 

sobre a equipe do livro

Abilio Guerra (organizador)
arquiteto (PUC-Campinas, 1982), mestre e doutor em História (IFCH Unicamp, 1992 e 2002), professor adjunto da FAU Mackenzie, editor da Romano Guerra Editora e do Portal Vitruvius. Autor dos livros Arquitetura e natureza (Romano Guerra, 2017, Cica Awards 2017) e O primitivismo em Mario de Andrade, Oswald de Andrade e Raul Bopp.

Silvana Romano Santos (organizadora)
Arquiteta (PUC-Campinas, 1983), editora da Romano Guerra Editora e do Portal Vitruvius. Coordenadora editorial e editora de livros de arquitetura, com destaque para Arquitetura: uma experiência na área de saúde (João Filgueiras Lima, 2012, prêmio Jabuti 2013) e Ministério da Educação e Saúde, ícone urbano da modernidade brasileira (Roberto Segre, 2013, prêmios Jabuti 2014, Cica 2014, IAB/RJ 2013, Anparq 2014).

José Tabacow (crítico)
Arquiteto (UFRGS, 1968), especialista em ecologia e recursos naturais (UFES, 1991) e doutor em geografia pela (UFRJ, 2002). Foi professor do curso de arquitetura e urbanismo da Unisul (Florianópolis e Tubarão, entre 2000 e 2012). Foi sócio do escritório Burle Marx Cia Ltda (1967-1982). Autor dos livros Arte e paisagem (com Roberto Burle Marx, Nobel), Árvores (com Roberto Burle Marx e Araquém Alcântara, AC&M, 1989) e Rio natureza (com Haruyoshi Ono e Roberto Burle Marx, Rio Arte/PMRJ, 1981). Em 2017 recebeu a medalha Mário de Andrade do Iphan.

Luis Antonio Jorge (crítico)
Arquiteto (PUC-Campinas, 1985), mestre, doutor e livre-docente (FAU USP, 1993, 1999 e 2016). É professor associado do Departamento de Projeto, orientador da Área "Projeto, Espaço e Cultura" do Programa de PósGraduação e coordenador do Grupo de Pesquisa "Representação dos lugares na cultura brasileira" e preside a Comissão de Cooperação Internacional (CCInt) na FAUUSP. Recebeu prêmios do Instituto de Arquitetos do Brasil por ensaios, livro e projetos de arquitetura.

Ruth Verde Zein (crítica)
Arquiteta (FAU USP, 1977), mestre e doutora em Teoria, História e Crítica de Arquitetura (UFRGS, 1999 e 2005) e pós-doutora (FAU USP, 2008) pela. Atualmente é professora e pesquisadora PPI da Universidade Presbiteriana Mackenzie e pesquisadora voluntaria do Propar UFRGS. É autora de artigos e livros, com vários e distinções: Prêmio Capes 2006 de Teses, menção honrosa Prêmio Anparq 2016 (livro autoral), Prêmio Anparq 2012 (categoria livro), Prêmio Luis Saia (IABSP, 2010) e menção honrosa na X Bienal de Arquitectura Mexicana de 2008.

Antonio Sagesse (fotógrafo)
Arquiteto (FAU USP, 1976), fotógrafo profissional de arquitetura, urbanismo, paisagem urbana, obras de arte, moda e publicidade. Ganhador do Prêmio Funarte de Arte Contemporânea (2011), participou de exposições individuais e coletivas: Centro Universitário Maria Antônia, Complexo Cultural FunarteSP, Centro Cultural São Paulo, Festival Paraty em Foco, Festival Giapponese de Firenzi, Museu Oscar Niemeyer, Casa de América em Madri, Museu de Arte da Pampulha, Sesc Pompeia, Instituto Cervantes, Instituto Tomie Ohtake e Galeria Rabieh.

Nelson Kon (fotógrafo)
Arquiteto (FAU USP, 1976), é fotógrafo especializado em arquitetura, com fotos publicadas em livros e revistas no Brasil e no exterior. Sua obra foi registrada no livro Nelson Kon (Senac, 2004). Ganhador do Prêmio APCA 2013 (“Registro de arquitetura”), tem fotos na coleção “Pirelli/Masp” do Masp e publicadas pelas principais editoras brasileiras e estrangeiras.

Tatewaki Nio (fotógrafo)
Nascido em Kobe (Japão) em 1971, é formado em Sociologia pela Universidade Sophia (Tóquio, Japão) em 1994. Vivendo em São Paulo (Brasil) desde 1998, estudou fotografia no Curso de Bacharelado em Fotografia do Senac de 2000 a 2003. Ganhou o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea (2011) e participou de exposições individuais e coletivas.

 

Sobre a editora e o realizador

A Romano Guerra Editora é especializada em livros de arquitetura, arte e cultura de alto padrão gráfico e editorial. Já publicou arquitetos e escritórios brasileiros de primeira linha, como Rino Levi, Paulo Mendes da Rocha, Lina Bo Bardi, Brasil Arquitetura, David Libeskind, João Filgueiras Lima (Lelé), Rosa Kliass, Marcos Acayaba, Abrahão Sanovicz, João Kon, Vilanova Artigas e outros. Suas edições, caracterizadas pela qualidade gráfica e conceitual, ganharam diversos prêmios. Abilio Guerra, Silvana Romano e Fernanda Critelli, arquitetos, são editores do Portal Vitruvius e da Romano Guerra Editora.

O Instituto Tomie Ohtake, inaugurado em novembro de 2001, desenvolve um intenso programa de exposições nacionais e internacionais, tanto contemporâneas como históricas, e se desdobra em outras atividades como debates, produção de conteúdo, documentação e edição de publicações, além de pesquisa no ensino da arte contemporânea, que lhe confere a ação pioneira na criação de novos processos para a formação de professores e de alunos das redes pública e privada, além de realizar uma série de atividades dirigidas ao público em geral e projetos de estímulo ao desenvolvimento da produção contemporânea.
Veja também