Brasil Arquitetura: Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz

Brasil Arquitetura: Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz

R$ 150,00
R$ 113,00
. Comprar  
Brasil Arquitetura: Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz, projetos 2005-2020

Organizado por Abilio Guerra, Marcos Grinspum Ferraz e Silvana Romano Santos
Textos críticos de Abilio Guerra, Guilherme Wisnik e Marta Bogéa 

Coordenação editorial Abilio Guerra, Fernanda Critelli e Silvana Romano
Design gráfico Victor Nosek
Ensaios fotográficos Nelson Kon, Daniel Ducci e Leonardo Finotti

edição em português
brochura, 256 páginas
23 x 27 cm, 1300 g
ilustrado, colorido, fotos
ISBN: 978-85-88585-89-8 (Romano Guerra Editora)
ISBN: 978-85-9493-215-0 (Edições Sesc São Paulo)

 


resenhas do livro

Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz: reconstruindo a paisagem. Uma utopia realizável
Vera Luz
Resenhas Online, São Paulo, ano 19, n. 225.03, Vitruvius, set. 2020

Saudades do Brasil
Cecília Rodrigues dos Santos
Resenhas Online, São Paulo, ano 19, n. 224.03, Vitruvius, ago. 2020

 


sobre o livro

Lançamento virtual com Fanucci e Ferraz, além dos autores de ensaios críticos do livro, Marta Bogéa, Abilio Guerra e Guilherme Wisnik, acontecerá em 25 de agosto de 2020 às 19h, e será transmitido ao vivo pela página do Vitruvius: facebook.com/vitruvius.com.br
 
A Romano Guerra Editora e a Edições Sesc São Paulo lançam Brasil Arquitetura: Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz, projetos 2005-2020, segundo livro monográfico sobre a obra produzida pelo escritório Brasil Arquitetura nos anos mais recentes. O volume conta com três ensaios críticos – “Lições da pedra”, de Marta Bogéa; “O elo e a dobra – as casas rurais de Marcelo Ferraz e Francisco Fanucci”, de Abilio Guerra; e “O arquiteto como propositor de problemas e militante cultural”, de Guilherme Wisnik –, que abordam no seu conjunto aspectos distintos da atuação do escritório Brasil Arquitetura, tais como: a formação intelectual; as intervenções em preexistências; a relação com a tradição construtiva brasileira, em especial a paulista; a proximidade e distinção à obra de Lina Bo Bardi; os vínculos intelectuais com pensadores e arquitetos brasileiros e internacionais; a poética da dupla, consolidada por anos de parceria. Na sequência, um amplo painel de obras concebidas pela dupla, além de amplas bibliografia e lista de obras cobrindo toda a carreira.

O primeiro livro monográfico sobre a obra do escritório foi publicado há quinze anos (FANUCCI, Francisco; FERRAZ, Marcelo Carvalho. Francisco Fanucci, Marcelo Ferraz: Brasil Arquitetura. São Paulo, Cosac Naify, 2005), e o novo livro traz algumas obras concluídas, anteriormente apresentadas em projeto ou em construção – casos da Sede do Instituto Socioambiental na Amazônia e do Museu Rodin em Salvador, que terminaram e passaram pela prova do uso e da apropriação. As outras edificações foram projetadas e construídas após a edição do primeiro livro – Museu do Pão em Ilópolis, Teatro Engenho Central de Piracicaba, Villa Isabela na Finlândia, Ateliê Girassol e Praça das Artes em São Paulo, Cais do Sertão no Recife, Museu do Pampa e Museu do Tijolo no interior gaúcho, Mercado de Jaguarão, Fazenda Rio Verde em Conceição do Rio Verde, Museu do Trabalho e do Trabalhador em São Bernardo do Campo, Sesc Registro, algumas casas em cidades diversas e projetos ainda não realizados. Em seu conjunto constituem uma obra de extrema importância no contexto geral da produção arquitetônica brasileira.

 

A trajetória do escritório Brasil Arquitetura

O escritório Brasil Arquitetura, formado hoje pelos arquitetos Marcelo Ferraz e Francisco Fanucci, comemora quatro décadas de existência. A atuação do escritório se caracteriza pela diversidade dos programas enfrentados: intervenção em edifício histórico, residência unifamiliar, centro cultural, museu, shopping center, estação de ônibus, velório, escola etc. O cenário de atuação da dupla é bem abrangente. Embora a maior parte da produção esteja concentrada em São Paulo, o Brasil Arquitetura realizou projetos nos Estados de Minas Gerais, Bahia, Amazonas, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Espírito Santo, Goiás e Distrito Federal. Ferraz e Fanucci também construíram no exterior – na Alemanha e na Finlândia – após vencerem concursos internacionais nestes países. A possibilidade de trabalhos em diferentes sítios geográficos permitiu o contato com questões sempre em mutação no que diz respeito às características de cada lugar, sua população e tradições locais, seus hábitos e costumes – em suma, sua cultura.

Da primeira formação do escritório Brasil Arquitetura – Marcelo Ferraz, Marcelo Suzuki e Francisco Fanucci, os dois primeiros tiveram importante contato com Lina Bo Bardi, quando trabalharam como seus colaboradores, inicialmente na obra do Sesc Pompeia. A partir daí criou-se um vínculo entre os aprendizes e a mestra, que complementou, de maneira significativa, a formação dos jovens arquitetos. Este contato original é fundamental para o desenvolvimento posterior do grupo, que tem se destacado em projetos de intervenção em edifícios e sítios históricos.

Os arquitetos Marcelo Ferraz e Francisco Fanucci possuem uma obra que se destaca sobremaneira no contexto arquitetônico brasileiro e latino-americano, o que pode ser constatado pela expressiva e constante publicação de seus projetos em livros e revistas, como também pelos prêmios importantes que têm recebido, com destaque para os dois prêmios “Rino Levi”, principal distinção outorgada pelo Instituto de Arquitetos do Brasil.
Veja também